O pó, muito comum em nossas casas, é um dos principais causadores da alergia respiratória. Os agentes que causa a alergia penetram pelas vias nasais, provocando tosse, espirros, irritações nos olhos e na garganta…

1 – Os sintomas
Os sintomas da alergia à poeira são parecidos aos que aparecem na alergia respiratória, que podem ser:

  • Dificuldade para respirar;
  • Espirros constantes;
  • Tosse seca;
  • Coceira no nariz e olhos;
  • Olhos a lacrimejar e com vermelhidão;
  • Borbulhas na pele.

Para confirmar a alergia à poeira é importante consultar um médico especializado, para aferir com a devida exactidão a origem dos sintomas.

2 – Causas mais comuns
A alergia à poeira acontece por causa de uma reação exagerada das células de defesa do corpo na presença de proteínas liberadas pelos ácaros, seus excrementos ou fragmentos do seu corpo. São bichos muito pequenos, invisíveis a olho nu, que se alimentam dos restos de pele humana e se acumulam em locais quentes e úmidos, como em carpetes, cortinas, tapetes, roupa de cama, sofá e peluches.

O tipo de ácaro que mais causa alergia à poeira é do gênero Dermatophagoides, e também é o causador de doenças como dermatite atópica, rinite alérgica e asma, que é uma inflamação crónica no pulmão provocada por alergia.

3 – Soluções para melhorar
Para melhorar os sintomas da alergia à poeira é fundamental evitar o contato com objetos que possam ter acúmulo de poeira e consequentemente de ácaros, assim como evitar ficar em locais muito fechados e húmidos.

Se a alergia não passar e os sintomas piorarem mesmo com a redução do contacto da pessoa com a poeira, é necessário consultar um clínico geral ou alergologista para que possa ser recomendado o uso de medicamentos anti-alérgicos. Em alguns casos, o médico pode recomendar o uso de injeção para alergia para reduzir as crises alérgicas.

4 – Prevenção
Para prevenir as crises de alergia à poeira é importante tomar medidas de controle ambiental, como por exemplo:

  • Manter a casa arejada;
  • Fazer higiene da casa regularmente;
  • Evitar travesseiros e edredom de pena ou algodão, optando por tecidos sintéticos de poliéster;
  • Limpar o chão com pano húmido para não levantar poeira;
  • Evitar carpetes e cortinas no quarto;
  • Dar preferência à persianas de enrolar, que são mais fáceis de limpar do que cortinas;
  • Limpar os tapetes com aspirador de pó, pelo menos 2 vezes por semana;
  • Trocar a roupa de cama todas as semanas, lavando-a na máquina com água quente;
  • Usar máscara de proteção ao limpar locais com muita poeira.
  • Fazer uma higienização e limpeza profissional dos sofás, carpetes e colchões pelo menos de 6 em 6 meses.

Fale connosco para uma limpeza profissional dos sofás, colchões ou tapetes da sua casa.